De que Maneira a Lei de Falências pode Afetar Minha Empresa? De que Maneira a Lei de Falências pode Afetar Minha Empresa?

De que Maneira a Lei de Falências pode Afetar Minha Empresa ?

Por Galvão & Silva Advocacia

0 Comentários

8 min de leitura

lei-de-falencias

Entender o impacto da Lei de Falências em uma empresa é fundamental para qualquer empresário ou gestor, uma vez que ela não apenas fornece um caminho para a recuperação de negócios em dificuldades financeiras, mas também impõe consequências significativas que podem alterar o curso da organização. Assim, desde a influência na credibilidade e operações da empresa até as implicações para acionistas e funcionários, a Lei de Falências desempenha um papel de extrema importância na determinação do futuro de uma firma em crise. 

No presente artigo, exploraremos os diversos aspectos de como a Lei de Falências pode afetar uma empresa, destacando tanto as oportunidades de recuperação quanto os desafios que a falência apresenta. Siga a leitura e saiba mais!

O que é a nova Lei de Falências?

A nova Lei de Falências brasileira, sancionada no final de 2020, representa uma atualização significativa da Lei nº 11.101/2005, que rege a recuperação judicial, extrajudicial e a falência de empresários e sociedades empresárias. Essa reformulação introduziu mudanças importantes para tornar a recuperação de empresas financeiramente debilitadas mais eficiente e flexível.

Entre as principais alterações está a ampliação do prazo para parcelamento de dívidas tributárias de empresas em recuperação judicial por até 120 meses, facilitando o manejo de obrigações fiscais. A lei também simplifica o acesso a novos financiamentos para empresas em recuperação, permitindo o uso de bens da empresa como garantia, o que incentiva o crédito.

Ligue e agende a sua consultoria com o Advogado Especialista.

Além disso, a lei mantém o mecanismo de cram down, que permite a aprovação de um plano de recuperação mesmo sem a unanimidade entre as classes de credores, porém com regras mais claras. Além disso, a legislação enfatiza a preservação da empresa e sua função social, buscando evitar a falência e manter os empregos.

Dentre outras disposições, a nova Lei de Falências define que pessoas físicas que se dediquem a atividades rurais também têm o direito de participar do processo de recuperação judicial, através de diretrizes específicas e requisitos documentais que devem ser atendidos para comprovar essa condição. Assim, essas mudanças visam modernizar o processo de recuperação empresarial no Brasil, tornando-o mais ágil e eficaz.

Qual o principal objetivo da recuperação judicial?

A recuperação judicial de uma empresa é uma estratégia destinada a evitar sua falência. Dessa maneira, o seu objetivo principal é apresentar um plano de reestruturação que demonstre a capacidade da empresa, apesar das dificuldades atuais, de se recuperar financeiramente. Isso envolve o pagamento das dívidas sob certas condições e a retomada de suas operações produtivas. 

Assim, a recuperação judicial é uma maneira de enfatizar a função social da empresa, que vai além dos lucros do proprietário, impactando positivamente a sociedade como um todo. Portanto, a lei busca fornecer uma oportunidade para as empresas superarem momentos difíceis e evitarem a sua completa insolvência.

Nesse sentido, o processo funciona da seguinte forma: o proprietário de uma empresa solicita ao poder judiciário a oportunidade de implementar um plano de reorganização conhecido como plano de recuperação judicial. Este plano detalha a situação financeira da empresa, incluindo suas dívidas, e descreve as ações que serão tomadas para quitá-las e continuar as operações. Se a justiça aprovar a recuperação, o plano deve ser colocado em prática dentro de sessenta dias. No entanto, caso o plano não tenha sucesso, a recuperação judicial pode ser convertida em processo de falência.

Precisando de um Advogado Especialista em sua causa?Somos o escritório certo para te atender.

Quais os 5 principais motivos que levam uma empresa a falir?

Diversos fatores podem levar uma empresa a falir, e entender esses motivos é essencial para evitar a aplicação da Lei de Falências. Aqui estão os cinco principais motivos:

  • Má Gestão Financeira: a falta de controle orçamentário, gastos excessivos ou investimentos mal planejados podem levar a graves problemas financeiros, tornando a empresa incapaz de cumprir suas obrigações;
  • Falta de Planejamento Estratégico: pode resultar em decisões empresariais ineficazes, reduzindo a competitividade e aumentando o risco de falência;
  • Concorrência de Mercado: a incapacidade de se manter competitivo em um mercado em constante mudança, seja por não acompanhar as tendências ou por falhar em diferenciar os produtos ou serviços, pode levar à perda de mercado;
  • Problemas de Fluxo de Caixa: a má gestão do fluxo de caixa, incluindo a incapacidade de cobrar dívidas ou gerenciar o capital de giro, pode resultar em incapacidade de pagar fornecedores e credores, levando a uma situação onde a Lei de Falências se torna uma realidade;
  • Crises Econômicas e Externas: mudanças políticas ou desastres naturais podem impactar drasticamente as operações de uma empresa, levando a uma redução drástica nas receitas e tornando a Lei de Falências uma possibilidade iminente.

A compreensão desses fatores é vital para que as empresas tomem medidas proativas para evitar a falência, especialmente no contexto da Lei de Falências, que regula o processo de declaração de insolvência no Brasil.

Como a Lei de Falências impacta as operações diárias de uma empresa?

A Lei de Falências tem um impacto considerável nas operações diárias de uma empresa, especialmente quando ela se encontra em situação de crise financeira. Sob esta lei, a empresa enfrenta diversas restrições financeiras, que limitam o acesso a novos financiamentos e podem afetar a capacidade de manter suas operações regulares. Além disso, a gestão da empresa pode passar por mudanças significativas, com a possibilidade de supervisão de um administrador judicial, alterando a autonomia nas tomadas de decisão e afetando as operações diárias.

Conforme estabelecido pela Lei de Falências, as empresas em recuperação judicial devem focar intensamente na reestruturação financeira e operacional. Esse foco pode desviar a atenção de outras áreas de negócios, impactando a eficiência e a produtividade. Assim, a situação de recuperação judicial também pode afetar as relações da empresa com fornecedores e clientes, levando a condições de pagamento menos favoráveis e potencial perda de negócios.

Clique no botão e fale agora com o advogado especialista

Para os empregados, a incerteza gerada pelo processo de recuperação judicial pode afetar a moral e a produtividade. Em alguns casos, reduções de pessoal podem ser necessárias para cortar custos. Além disso, a empresa deve cumprir com uma série de exigências legais e administrativas impostas pela Lei de Falências, o que demanda tempo e recursos, podendo sobrecarregar a equipe gerencial.

Portanto, enquanto a Lei de Falências oferece um caminho para a recuperação de empresas em dificuldades financeiras, ela também impõe desafios significativos que afetam as operações diárias, exigindo uma gestão cuidadosa e estratégica para navegar com sucesso através desse processo complexo.

Quais são as implicações da Lei de Falências para as dívidas empresariais?

As implicações da Lei de Falências para as dívidas empresariais são significativas. Sob esta legislação, quando uma empresa se encontra em dificuldades financeiras e opta pela recuperação judicial, ela ganha a oportunidade de reestruturar suas dívidas de maneira a preservar suas operações e evitar a falência. Dessa forma, a lei permite que a empresa apresente um plano de reestruturação aos credores, propondo novas condições de pagamento, que podem incluir prazos estendidos, redução de juros e até mesmo descontos no valor principal da dívida.

Ademais, durante o período inicial do processo de recuperação judicial, a empresa é protegida contra execuções de dívidas, o que significa que as ações judiciais em curso são suspensas, e novas não podem ser iniciadas. Isso oferece um respiro temporário para a empresa reorganizar suas finanças sem a pressão imediata de pagamentos de dívidas e execuções.

Contudo, a Lei de Falências também impõe certas obrigações e limitações, pois a empresa deve manter uma transparência financeira rigorosa e pode ser sujeita a uma maior fiscalização por parte dos credores e do judiciário. Além disso, o não cumprimento do plano de reestruturação acordado pode levar à falência, o que geralmente resulta na liquidação dos ativos da empresa para o pagamento das dívidas com os credores.

Ligue e agende a sua consultoria com o Advogado Especialista.

Como a Lei de Falências afeta os direitos dos credores de uma empresa em processo de falência?

Quando uma empresa declara sua insolvência, a Lei de Falências estabelece um quadro legal que prioriza e organiza a forma como os credores são pagos. Primeiro, são priorizados os credores com garantias reais, como hipotecas ou penhoras, os quais têm direito a receber antes dos demais credores.

Em seguida, os credores trabalhistas e aqueles com dívidas tributárias têm prioridade no recebimento de seus créditos, seguindo a ordem estabelecida pela Lei de Falências. Após isso, vêm os credores quirografários, que são aqueles sem garantias específicas, como fornecedores e credores de empréstimos não garantidos.

Além disso, a Lei de Falências busca garantir um tratamento justo e equitativo a todos os credores, evitando preferências injustificadas ou tratamentos diferenciados entre eles. No mais, os credores têm o direito de participar das assembleias de credores, onde podem votar sobre o plano de recuperação da empresa ou outras questões relacionadas ao processo de falência.

Precisando de um Advogado Especialista em sua causa?Somos o escritório certo para te atender.

Conclusão

Nesse cenário, buscar a assistência de um advogado com expertise em legislação empresarial pode ser uma escolha estratégica e benéfica para uma empresa se preparar para uma recuperação judicial ou até mesmo para um processo de falência. O escritório Galvão & Silva Advocacia dispõe de uma equipe altamente qualificada, pronta para oferecer uma consultoria de alto nível. Estamos totalmente disponíveis e ansiosos para prestar-lhe nosso atendimento personalizado. Aguardamos com expectativa o seu contato!

5/5 - (1 vote)

Atualizado em 3 de janeiro de 2024

Deixe um comentário ou Sugestão:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escritório bem avaliado

Temos uma reputação global por fornecer serviços jurídicos excepcionais.

Posts relacionados

Dissolução de Sociedade e Direito...

Por Galvão & Silva Advocacia

16 fev 2024 ∙ 6 min de leitura

Fusão de Sociedade Empresarial: Saiba Como...

Por Galvão & Silva Advocacia

16 fev 2024 ∙ 8 min de leitura

Registro de Sociedade: Quais são as Etapas e...

Por Galvão & Silva Advocacia

09 fev 2024 ∙ 8 min de leitura

Posts recomendados

Advogado especialista em dívidas bancárias

Por Galvão & Silva Advocacia

28 dez 2020 ∙ 8 min de leitura

Homologação de sentença estrangeira

Por Galvão & Silva Advocacia

15 jun 2014 ∙ 41 min de leitura

Direito Administrativo

Por Galvão & Silva Advocacia

29 abr 2014 ∙ 21 min de leitura

Onde nos encontrar

Goiânia - GO

Av. Portugal, n°1148, Sala C 2501 - Edifício Órion Business & Health Complex, Setor Marista, Goiânia - GO CEP: 74.150-030

São Paulo - SP

Avenida Paulista, 1636 - Sala 1504 - Cerqueira César, São Paulo - SP CEP: 01.310-200

Belo Horizonte - BH

Rua Rio Grande do Norte, 1435, Sala 708 - Savassi, Belo Horizonte - MG CEP: 30130-138

Águas Claras - DF

Rua das Pitangueiras 02 Águas Claras Norte, Lote 11/12, Edifício Easy, Mezanino, Brasília - DF CEP: 71950-770

Fortaleza - CE

Rua Monsenhor Bruno, nº 1153, Sala 1423 - Scopa Platinum Corporate, Aldeota, Fortaleza - CE CEP: 60115-191

Florianópolis - SC

Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 1108 - Ed. Koerich Empresarial Rio Branco, Centro, Florianópolis - SC CEP: 88015-200

Natal - RN

Avenida Miguel Alcides de Araújo, 1920, Lote A, Capim Macio, Natal - RN CEP: 59078-270

Salvador - BA

Avenida Tancredo Neves, 2539, Sala 2609 - CEO Salvador Shopping Torre Londres, Caminho das Árvores, Salvador - BA CEP: 41820-021

Teresina - PI

Rua Thomas Edson, 2203 - Horto, Teresina - PI CEP: 64052-770

Curitiba - PR

Rua Bom Jesus, Nº 212, Sala 1904 - Juvevê - Curitiba - PR CEP: 80.035-010

João Pessoa - PB

Avenida Dom Pedro I, no 719, sala 104, Tambiá - João Pessoa - PB CEP: 58020-514

©2024 Galvão & Silva - Todos os Direitos Reservados.

Entrar em contato pelo WhatsApp
✓ Válido

Olá, tudo bem? Clique aqui e agende uma consulta com o especialista.
Formulário de whatsapp
Ligar
Auarde um momento enquanto geramos o seu protocolo de atendimento.