Inventário: como funciona quando há testamento?

Inventário quando há testamento

13/01/2021

5 min de leitura

Atualizado em

Carta escrito testamento com selo e martelo de juiz

Pensar na morte é visto como tabu pela maioria das pessoas – especialmente no Brasil. Porém, imprescindível dar-se conta de que o falecimento é um evento certo e natural, e que obrigatoriamente irá gerar consequências no mundo jurídico. 

Este momento delicado, em meio ao luto, aflora diversas emoções, e infelizmente é preciso lidar com certas questões bem burocráticas – a conhecida herança. 

A transferência de patrimônio de uma pessoa para outra após sua morte pode causar diversos desentendimentos entre os familiares/herdeiros, e muitas vezes um testamento previamente escrito pelo de cujus acaba por minimizar estas questões. 

Neste momento, após a morte de um familiar que deixou testamento, muitas dúvidas surgem. Pensando nisso, preparamos esse artigo com algumas das principais dúvidas dos nossos clientes, que também podem ser as suas. Confira!

Fale com um advogado especialista.

Qual a diferença entre testamento e inventário?

É necessário, antes de tudo, definir o que é testamento e o que é inventário para explicitar a diferença desses dois institutos. 

Testamento pode ser entendido como a manifestação de vontade de uma pessoa viva acerca do seu patrimônio, ou seja, uma manifestação de vontade sobre como ela quer dispor do seu patrimônio. 

Por outro lado, Inventário é a apuração dos bens de uma pessoa após o seu falecimento. Esse processo é necessário para posterior partilha de bens entre os herdeiros. 

O que pode ser deixado em testamento?

Geralmente as disposições deixadas em testamento dispõem de bens imóveis ou móveis. Porém, caso o testador queira dispor de outras questões, como sobre o seu enterro e funeral, ou outros itens pessoais, este pode utilizar o ato chamado “codicilo”. 

Todavia, voltando ao testamento, a pessoa pode dispor de metade (50%) do seu patrimônio para quem sentir vontade. Para esse ato, a presença de advogado não é essencial, diferentemente do inventário. 

Quais os tipos de testamento?

Existe mais de um tipo de testamento. São eles:

  • Testamento Público: deve ser redigido em cartório, ter assinatura de duas testemunhas, e ser lido em voz alta antes da assinatura; 
  • Testamento Cerrado: escrito à mão pelo testador, possui caráter sigiloso, e é composto por auto de aprovação, sendo lavrado e lido por oficial público ao testador na presença de duas testemunhas. Então, este será lacrado, podendo somente ser aberto após falecimento, sob pena de revogação;
  • Testamento particular: documento escrito e assinado pelo testador e por três testemunhas, lido em voz alta 

Ligue agora e agende uma reunião.

Como proceder quando a pessoa (testador) morrer? E como funciona o processo de inventário?

Quando o testador vier a falecer, faz-se necessária uma ação judicial chamada de “abertura, registro e cumprimento de testamento”. 

Isto feito, após a análise do juiz, o processo irá permitir a abertura dos autos de inventário. O inventário, de forma resumida, é uma descrição detalhada de todo o patrimônio do autor da herança (o falecido). Esse detalhamento é utilizado para posterior partilha entre os herdeiros. 

Então, os herdeiros deverão escolher um “inventariante”. Essa pessoa será responsável pelo espólio (bens do falecido) até sua partilha. Após a juntada de um rol de documentos, haverá um levantamento geral dos bens e direitos deixados, que deverá passar pelo crivo do magistrado, do Ministério Público, e da Procuradoria do Estado. 

A Procuradoria, então, irá analisar os valores dos bens para calcular o imposto para a transmissão do patrimônio aos herdeiros, o denominado ITCMD (Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doações de quaisquer bens ou direitos). Quitados os impostos devidos, o processo irá ser finalizado com a partilha e distribuição dos quinhões a cada herdeiro.

Como saber se o falecido deixou testamento?

Caso a família não tenha certeza se o falecido deixou testamento registrado, dever-se-á retirar uma certidão no CENSEC (Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados). Essa pesquisa realizará uma busca em todos os cartórios do país, verificando a existência ou não de testamento registrado.

Ocorre que, caso o falecido tenha realizado testamento particular ou codicilo, por esse não exigir registro em Cartório, a mencionada busca não irá encontrar esses documentos.

O que pode acontecer se não for feito o inventário?

Este é um ponto extremamente relevante: as consequências da não abertura de inventário após falecimento de uma pessoa.

Um dos grandes problemas da não abertura do inventário é que os herdeiros não poderão usufruir livremente dos bens deixados pelo falecido. Em outras palavras, os herdeiros não poderão vender, alugar, transferir ou realizar qualquer outro tipo de negócio jurídico com os bens do falecido até que seja feita a partilha. 

Além disso, o cônjuge sobrevivente, ou seja, o/a viúvo(a), sem que haja a abertura do inventário e a posterior partilha dos bens, fica impedido de contrair novo casamento legalmente. 

Com isso, lei busca preservar o patrimônio legal do cônjuge e também dos filhos da pessoa falecida (se houver). O fundamento é que se o viúvo vier a se casar com outra pessoa, o patrimônio deste poderá se confundir com o acervo do novo cônjuge – e consequentemente dos herdeiros deste último em um eventual futuro divórcio ou sucessão por morte. 

É possível inventário extrajudicial se o falecido deixou testamento?

Antes de responder essa pergunta, é importante citar que existem basicamente duas formas de inventário: o inventário judicial e o extrajudicial. 

O inventário extrajudicial é aquele que ocorre em cartório, por meio de escritura pública. Para que o inventário extrajudicial possa ser realizado, é imprescindível que: 

  • Não haja herdeiros menores de idade;
  • O falecido não tenha deixado testamento*;
  • Todas as certidões cíveis, criminais e federais sejam negativas, ou seja, quando ficar comprovado que o falecido não possuía ações cíveis, criminais ou federais;
  • Houve consenso entre os herdeiros (não houve conflitos em relação à divisão do patrimônio do falecido).

*Atenção: quanto a impossibilidade de abertura de inventário extrajudicialmente pela existência de testamento, importante salientar o artigo 129 do provimento CG 40/12. Este dispositivo permitiu a lavratura de ato notarial no caso de testamento que foi revogado, se tornou caduco, ou por decisão transitada em julgado se tornou inválido.

Em outros casos, o inventário deverá ocorrer, obrigatoriamente, no meio judicial.

Aqui no escritório Galvão & Silva possuímos Advogados Especialistas em Inventário e Sucessões e estamos à disposição para te ajudar. Entre em contato agora mesmo com nosso escritório e agende uma reunião com um de nossos especialistas.

4.4/5 - (9 votes)
Autor
Galvão & Silva Advocacia

Artigo escrito por advogados especialistas do escritório Galvão & Silva Advocacia. Inscrita no CNPJ 22.889.244/0001-00 e Registro OAB/DF 2609/15. Conheça nossos autores.

Revisor
Daniel Ângelo Luiz Silva

Advogado especialista, formado pela pela Faculdade Processus em Brasília inscrito nos OAB DF sob o número 54.608, professor e escritor de diversos temas relacionado ao direito brasileiro.

14 comentários para "Inventário quando há testamento"
  1. Pedro disse:

    Bom dia. Conteúdo muito esclarecedor. Obrigado!

    1. Galvão & Silva disse:

      Os artigos são produzidos por nossos advogados especialistas, que dão o seu máximo para preparar o melhor conteúdo jurídico. Por isso Pedro, ficamos felizes por saber que gostou.

  2. Luiz Louvise disse:

    Sempre muito didáticos os artigos publicados por Galvão & Silva. Leio-os amiúde e tenho aprendido muito. Parabéns!

    1. Galvão & Silva disse:

      Boa tarde, Luiz!
      Agradecemos pelo feedback e ficamos felizes que nosso conteúdo tenha colaborado com o seu conhecimento!
      Estamos à disposição.

  3. Valeria disse:

    A pessoa pode deixar todo o patrimônio para quem ela quiser, ou 50% obrigatoriamente fica para os herdeiros diretos? Obrigada

    1. Galvão & Silva disse:

      Boa tarde, Valeria! Como vai?
      Sim! Obrigatoriamente, 50% da herança precisa ir diretamente para os herdeiros diretos.
      Para saber mais informações, agende uma consultoria com um dos nossos especialistas em direito de sucessões.
      Obrigada!

  4. camila disse:

    Muito bom, estava com duvida no assunto, e este artigo foi totalmente esclarecedor.

    1. Galvão & Silva disse:

      Nosso time agradece o feedback!
      Seguimos a disposição!

  5. Elcy disse:

    Explicação muito esclarecedora sobre o assunto, pois tinha algumas dúvidas, muito obrigada.

    1. Galvão & Silva disse:

      Obrigado Elcy, agrademos o feedback, é sempre bom saber que nossos conteúdos estão agradando, estamos sempre
      a disposição abraço!

  6. MOISES DOS SANTOS disse:

    A de cujus não tinha herdeiros necessários e deixou único patrimônio (casa) mediante testamento há uma amiga. Foi aberto inventário pelos herdeiros colaterais (irmãos) com a finalidade de transferir a propriedade desse imóvel a essa amiga. Pode a pessoa que recebeu o imóvel mediante testamento acompanhar o processo de Inventário como TERCEIRA INTERESSADA?

    1. Pedro Henrique disse:

      Para dúvidas específicas sobre o acompanhamento de inventários, recomendo que entre em contato com um de nossos especialistas. Acesse https://www.galvaoesilva.com/contato/ para mais informações.

  7. maria costa disse:

    Doutores, se possível, um esclarecimento, por favor: Existe Escritura de Testamento. Pode a Inventariante, também herdeira, encaminhar ao locatário de um dos imóveis (não o que lhe coube) carta de desistência de compra de imóvel atribuído a um outro herdeiro antes de terminado o processo de inventário, ou será necessário um alvará judicial? Muito grata.

    1. Galvão & Silva disse:

      Para obter uma orientação precisa sobre a situação da escritura de testamento e a atuação da inventariante, é essencial que entre em contato diretamente com um de nossos advogados especialistas. Por favor, visite https://www.galvaoesilva.com/contato/ para mais informações.

Deixe um comentário ou Sugestão:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escritório bem avaliado Temos uma reputação global por fornecer serviços jurídicos excepcionais.
Posts relacionados

Indisponibilidade de Bens: Estratégias...

Por Galvão & Silva Advocacia

02 maio 2024 ∙ 10 min de leitura

Advogado para Planejamento Sucessório:...

Por Galvão & Silva Advocacia

11 mar 2024 ∙ 19 min de leitura

Tipos de Sucessão: Quais são? Como...

Por Galvão & Silva Advocacia

28 nov 2023 ∙ 8 min de leitura

Posts recomendados

Advogado especialista em dívidas bancárias

Por Galvão & Silva Advocacia

28 dez 2020 ∙ 15 min de leitura

Onde nos encontrar
Goiânia - GO
Av. Portugal, n°1148, Sala C 2501 - Edifício Órion Business & Health Complex, Setor Marista, Goiânia - GO CEP: 74.150-030
São Paulo - SP
Avenida Paulista, 1636 - Sala 1504 - Cerqueira César, São Paulo - SP CEP: 01.310-200
Belo Horizonte - BH
Rua Rio Grande do Norte, 1435, Sala 708 - Savassi, Belo Horizonte - MG CEP: 30130-138
Águas Claras - DF
Rua das Pitangueiras 02 Águas Claras Norte, Lote 11/12, Edifício Easy, Mezanino, Brasília - DF CEP: 71950-770
Fortaleza - CE
Rua Monsenhor Bruno, nº 1153, Sala 1423 - Scopa Platinum Corporate, Aldeota, Fortaleza - CE CEP: 60115-191
Florianópolis - SC
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 1108 - Ed. Koerich Empresarial Rio Branco, Centro, Florianópolis - SC CEP: 88015-200
Natal - RN
Avenida Miguel Alcides de Araújo, 1920, Lote A, Capim Macio, Natal - RN CEP: 59078-270
Salvador - BA
Avenida Tancredo Neves, 2539, Sala 2609 - CEO Salvador Shopping Torre Londres, Caminho das Árvores, Salvador - BA CEP: 41820-021
Teresina - PI
Rua Thomas Edson, 2203 - Horto, Teresina - PI CEP: 64052-770
Curitiba - PR
Rua Bom Jesus, Nº 212, Sala 1904 - Juvevê - Curitiba - PR CEP: 80.035-010
João Pessoa - PB
Avenida Dom Pedro I, no 719, sala 104, Tambiá - João Pessoa - PB CEP: 58020-514

©2024 Galvão & Silva - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 22.889.244/0001-00 | OAB/DF 2609/15

Entrar em contato pelo WhatsApp
✓ Válido

Olá, tudo bem? Clique aqui e agende uma consulta com o especialista.
Formulário de whatsapp
Ligar
Aguarde um momento enquanto geramos o seu protocolo de atendimento.