MENU
Artigos

Receba agora o contato de um
Advogado Especialista

Ligamos Para Você
Galvão & Silva Advocacia - Foto Autor

Por Galvão & Silva Advocacia.
Atualizado em 11 de outubro de 2018.

Prescrição e decadência no direito tributário

Prescrição e decadência no direito tributário

Entre os assuntos técnicos ligados às questões tributárias, entender as diferenças e aplicações de prescrição e decadência no direito tributário é uma das maiores dificuldades. A equipe de direito tributário recebe vários questionamentos sobre o assunto, geralmente trazidos em situações práticas, aqui no escritório Galvão & Silva.

Por isso, desenvolvemos esse guia simples e exemplificado a respeito do significado de prescrição e decadência no direito tributário, quais são suas diferenças, e quais são os pontos que exigem mais atenção neste assunto.

Confira o material produzido abaixo, e entenda de vez a questão da prescrição e decadência no direito tributário:

O que são a prescrição e a decadência?

Segundo o Código Tributário Nacional, em seu artigo 156, as modalidades de prescrição e decadência são, expressamente, formas de extinção do crédito tributário. São, portanto, duas maneiras de extinguir o crédito ou, ao menos, a possibilidade de sua cobrança.

Uma anedota comum no direito tributário é aquela que diz que “o direito não protege os dormentes”. Trata-se, na prática, de uma expressão da segurança jurídica, fazendo com que a inércia de quem tem o direito ao crédito não permita que a dívida seja perpetuada contra o devedor.

Apesar da semelhança, não é correto dizer que prescrição e decadência no direito tributário são iguais. Na verdade, são dispositivos com efeito igual: a extinção do crédito. Há, no entanto, uma série de diferenças no que diz respeito à forma de contagem, à possibilidade de interrupções e outros detalhes relevantes.

Quais são as principais diferenças?

A principal diferença doutrinariamente estabelecida entre prescrição e decadência é o objeto da extinção. A decadência de um direito extingue a existência deste direito em sua totalidade, ao passo que a prescrição extingue a pretensão de agir em relação a um determinado direito.

De forma simplificada, pode-se dizer que uma dívida que teve extrapolado seu prazo decadencial deixa de existir, enquanto uma dívida que teve extrapolado seu prazo prescricional não é mais exigível, não podendo mais ser cobrada.

Além disso, a prescrição pode ser interrompida ou suspensa, enquanto a decadência não apresenta tais possibilidades. A diferença prática, neste sentido, é extremamente relevante, uma vez que o prazo prescricional pode se alongar e retomar a contagem por uma série de fatores distintos, enquanto a natureza peremptória da decadência oferece maior segurança.

O que define se o prazo é prescricional ou decadencial no direito tributário?

No direito tributário, a definição da forma de extinção depende essencial de o crédito já ter sido constituído de forma definitiva ou não.

Significa dizer que o quando o fato gerador do crédito ocorre, inicia-se a contagem de um prazo decadencial de cinco anos para que o crédito seja devidamente constituído. Essa é a atividade definida no artigo 142 do CTN:

“verificar a ocorrência do fato gerador da obrigação correspondente, determinar a matéria tributável, calcular o montante do tributo devido e identificar o sujeito passivo”

Após constituído oficialmente o crédito tributário, inicia-se um prazo prescricional, também de cinco anos, para que se exerça a pretensão sobre este crédito.

De forma resumida, portanto, a decadência ocorre quando ainda não se constituiu o crédito tributário, e a prescrição ocorre após a sua constituição.

A importância da blindagem e da advocacia preventiva

Infelizmente, ainda observamos uma noção muito consolidada de que as atividades relacionadas ao direito tributário são essencialmente ligadas ao controle dos danos. Isso faz com que muitos indivíduos e empresas atuem apenas depois que os problemas já se desenvolveram, o que aumenta significativamente os custos e desgastes na área.

No escritório Galvão & Silva, temos a certeza de que uma advocacia preventiva e estratégica é a melhor maneira de tratar o direito tributário, evitando que ele sequer se torne um problema. Os efeitos deste tipo de atuação são rapidamente observáveis, refletindo-se em uma significativa redução de custos e no aumento da segurança jurídica das empresas, permitindo planejamentos de longo prazo muito mais precisos.

Se você tem qualquer dúvida a respeito do assunto, pode entrar em contato diretamente conosco por aqui. Nossa equipe especializada em direito tributário atenderá você e conversará sobre seu caso!

Prescrição e decadência no direito tributário
Tire suas dvidas com nossa equipe
Quero conversar sobre o meu caso

Receba agora o contato de um Advogado Especialista

Últimos artigos

Mais Lidos

Nossa Localização

© 2018 | Galvão & Silva Advocacia. Todos os direitos reservados.

Fechar

Precisa de ajuda jurídica?
envie uma mensagem

* Todos os campos são obrigatórios.

x

X
Carregando...
×
×
×