Saiba mais sobre a possibilidade de venda de um Imóvel Locado Saiba mais sobre a possibilidade de venda de um Imóvel Locado

Saiba mais sobre a possibilidade de venda de um Imóvel Locado

Por Galvão & Silva Advocacia

6 Comentários

9 min de leitura

venda-de-um-imovel-locado

São comuns as situações no direito imobiliário onde proprietários e locatários desejam realizar a venda de um imóvel locado.

Mas nesta situação encontra-se o proprietário que pode desejar vender seu imóvel por diversos motivos e o inquilino, que irá se deparar com uma situação desagradável e desesperadora.

A venda de um imóvel locado faz com que o inquilino e o locatário fiquem com dúvidas. Há sim possibilidades de venda de um imóvel locado, porém com regras que ajudam a evitar problemas e possíveis desentendimentos entre o locador e o locatário!

A venda de um imóvel locado é permitida por lei, pois quem o aluga garante apenas a posse indireta do espaço locado. Com isso, o locador permanece sendo o dono do imóvel, com o direito de vendê-lo quando quiser.

Contudo, nada acontece do dia para a noite. Há um aviso prévio e uma série de regras que irão prevenir que dores de cabeças futuras apareçam.

Regras para a venda de um imóvel locado

É preciso notificar o inquilino!

Conforme assegurado no Art. 27 da Lei 8.245/91, todo inquilino deve ser notificado sobre a venda do imóvel que aluga. É obrigação do proprietário informar a imobiliária responsável pela locação sobre o desejo de venda.

Quem fará o contato com o inquilino sobre a venda é a imobiliária, podendo optar por mandar uma carta extrajudicial. O locatário terá 30 dias para manifestar o desejo de compra do imóvel que aluga. Este tem preferência de compra.

O locatário possui o denominado direito de preferência, previsto na Lei do Inquilinato. O proprietário tem que oferecer primeiramente ou em igualdade de condições com terceiros adquirentes, ao locatário!

Lei 8.245/91 “No caso de venda, promessa de venda, cessão ou promessa de cessão de direitos ou dação em pagamento, o LOCATÁRIO tem preferência para adquirir o imóvel locado, em igualdade de condições com terceiros, devendo o LOCADOR dar-lhe conhecimento do negócio mediante notificação judicial, extrajudicial ou outro meio de ciência inequívoca.”

Fale com um advogado especialista.

Visitas no imóvel

Se o inquilino não manifestar interesse na compra ou exceder o limite de 30 dias para expressar sua vontade, o proprietário poderá vender o imóvel para outras pessoas. Com isso, terceiros possuem o direito de visitá-lo.

Essa visita deve ser combinada com o inquilino, decidindo o melhor dia e horário para que ela ocorra. O inquilino não poderá impedir as visitas!

Após a venda do imóvel

Se o locatário realmente não possuir interesse na compra, ele tem que desocupá-lo após 90 dias que ocorrer a venda de um imóvel locado.

Mas é necessário que ambas as partes estejam atentas às cláusulas do contrato de locação. Visto que, se o contrato afirma que há um tempo determinado de vigência, o proprietário deverá esperar que esse período se encerre!

Se houver mudanças no contrato ao longo do período de locação, esta precisará ser averbada em cartório. Só assim garante-se que o cumprimento do contrato de locação.

Ligue agora e agende uma reunião.

Notificação realizada pelo proprietário

A notificação realizada pelo proprietário pela venda de um imóvel locado deve incluir todas as condições do negócio, como preço, condições de pagamento, prazo, forma de correção e outros dados indispensáveis. Assim, a entrega da notificação ao locatário deve ser inequívoca.

Pode-se considerar a notificação em cartório mais ágil e de menor custo que a judicial e tão eficiente quanto a mesma. Porém, a notificação poderá ser realizada de qualquer forma, desde que viabilize a demonstração do inequívoco recebimento da notificação pelo locatário.

O locador pode desistir do negócio depois de notificar o locatário?

Se o locador desistir da venda um imóvel locado após notificar o locatário sobre o negócio, terá que indenizá-lo por perdas e danos. Essa indenização evitará o abuso de direito do locador com intenção de obter o despejo.

O Art. 29 da Lei no Inquilinato cita:

Ocorrendo aceitação da proposta, pelo locatário, a posterior desistência do negócio pelo locador acarreta, a este, responsabilidade pelos prejuízos ocasionados, inclusive lucros cessantes.

Fale com um advogado especialista.

O que acontece se o proprietário realizar a venda de um imóvel locado sem notificar o locatário?

Se o proprietário vendeu o imóvel e não notificou o inquilino sobre o ocorrido, barrando-o do seu direito de preferência, este poderá recorrer judicialmente à transferência da posse do bem do devedor ao credor, ou seja, quitando a dívida a partir da transferência do bem imóvel locado.

Porém, para isso, existem alguns pontos para seguir:

  • Para requerer judicialmente é preciso estar dentro do prazo de 6 meses contando do registro de aquisição do imóvel por terceiro;
  • Deposite judicialmente o preço do negócio e as outras despesas do ato de transferência, como os emolumentos de escritura pública e registro no Registro de Imóveis;
  • É necessário que o contrato de locação esteja averbado junto à matrícula do imóvel locado, no mínimo 30 dias antes da alienação;

Caso o locatário não atenda algum ou todos os requisitos citados acima, poderá, ao menos, requerer perdas e danos por não ter sido respeitado no seu direito de preferência, comprovando os danos judiciais.

Este termo está previsto no Art. 33 da Lei do Inquilinato:

O locatário preterido no seu direito de preferência poderá reclamar do alienante as perdas e danos ou, depositando o preço e demais despesas do ato de transferência, haver para si o imóvel locado, se o requerer no prazo de seis meses, a contar do registro do ato no cartório de imóveis, desde que o contrato de locação esteja averbado pelo menos trinta dias antes da alienação junto à matrícula do imóvel.

Parágrafo único:

A averbação far-se – á à vista de qualquer das vias do contrato de locação desde que subscrito também por duas testemunhas.

Quais regras seguir para venda de um imóvel locado?

Após a venda de um imóvel locado, o locatário terá 90 dias para desocupar o imóvel, conforme previsto no art. 8 da Lei do Inquilinato.

E para evitar a desocupação imediata do imóvel, é preciso que o inquilino siga as regras:

1) Faz-se necessário inserir no contrato de locação uma cláusula sobre a venda do imóvel alugado durante a vigência do contrato.

Pode acontecer através de um simples texto, apenas esclarecendo que o inquilino poderá continuar morando no imóvel até o final do contrato e que esse contrato permanecerá vigente até seu término, independente do proprietário vender o imóvel.

2) É preciso averbar o contrato junto à matrícula do imóvel, visto que toda nova cláusula ou atualização em contrato feito em cartório precisa ser feita por meio da averbação. É por meio da averbação que atualiza os dados de um contrato.

Ligue agora e agende uma reunião.

Então, ao incluir uma cláusula no contrato, é necessário cumprir as exigências do cartório em relação à averbação e atualizar essa nova cláusula do contrato junto à matrícula do imóvel.

O que fazer após a venda?

Após a venda de um imóvel locado, a lei prevê a possibilidade de se dar eficácia ao contrato de locação contra terceiros, mediante o registro do contrato no registro de títulos e documentos do domicílio do locador de se tratar sobre bem móvel ou no registro de imóvel respectivo, em casos de bem imóvel.

Deduz, então, a necessidade de registro no Registro Imobiliário do contrato de locação. Dessa forma, surtindo efeitos a cláusula de vigência em caso de alienação do imóvel locado.

Por outro lado, para que o direito de preferência por parte do locatário seja exercido, é preciso realizar a averbação do contrato locatício, de forma priorizada, na matrícula do imóvel objeto da locação.

Dessa forma, o locatário poderá permanecer no imóvel pelo prazo do contrato, pagando o aluguel ao novo proprietário.

Raramente o locatário toma os cuidados necessários, ou sequer sabe sobre eles, para resguardar seus direitos através do simples registro do contrato de locação com cláusulas de vigência no Registro de Imóveis.

Fale com um advogado especialista.

Para isso, é preciso ter um advogado especializado em direito imobiliário para te auxiliar, expondo todos os seus direitos e deveres como locatário e os direitos e deveres do proprietário do imóvel!

Vantagens de um advogado especialista em Direito Imobiliário

A presença de um advogado é indispensável, visto que qualquer deslize cometido poderá refletir negativamente na situação. E o escritório Galvão & Silva segue todos os parâmetros judiciais e legais para a realização da venda de um imóvel locado, auxiliando o locatário e o locador.

Nós compreendemos a importância de estar atento ao contrato e cientes de que é possível realizar a venda de um imóvel locado. Assim, contar com um profissional especializado no assunto e de confiança fará toda a diferença nesse processo.

O inquilino precisa garantir que registrou devidamente o contrato no Cartório de Registro de Imóveis e também deve respeitar as visitas ao imóvel. E, por fim, o proprietário deve assegurar o cumprimento dos prazos e da notificação.

São variadas as situações e repercussões que podem manifestar-se com a venda de um imóvel locado. Por isso, é importante que o proprietário e o inquilino se inteirarem de todas as particularidades que o contrato de locação apresenta durante a sua existência!

Seguindo todo esse passo a passo, é possível evitar qualquer complicação possível na venda de um imóvel locado, além de prevenir que ambas as partes sejam prejudicadas. 

Nosso escritório atua há anos com uma equipe especializada nestes e em outros temas ligados ao Direito Imobiliário, de forma a buscar soluções ágeis e pouco desgastantes para as partes envolvidas. Ficou alguma dúvida? Entre em contato com nossa equipe, será um prazer te atender!

5/5 - (2 votes)

___________________________

Artigo escrito por advogados especialistas do escritório Galvão & Silva Advocacia. Inscrita no CNPJ 22.889.244/0001-00 e Registro OAB/DF 2609/15.
Conheça nossos autores.


Atualizado em 26 de julho de 2023

6 respostas para “Saiba mais sobre a possibilidade de venda de um Imóvel Locado”

  1. Dalva Costa disse:

    Proprietária oficializou a venda do imovel que moro e diz que após 30 dias que fui notificada tenho 30 dias para desocupar! A lei é essa?

    • Galvão & Silva disse:

      Dalva, na Lei do Inquilinato é estabelecido esse prazo de 30 dias para desocupar o imóvel. Pelo que a lei determina, somente alguns casos isso se aplica.

  2. Daniele Lacerda disse:

    Sou proprietária de um imóvel e quero vendê-lo, já oferecemos ao inquilino e ele não tem interesse na compra, a administradora está se negando a passar o contato direto do inquilino para combinar as visitas de outras imobiliárias, quer fazer através deles

  3. Bruno Alexandre disse:

    Tinha um imóvel locado que foi desocupado. Se eu vender ele logo após a desocupação tem algum risco do inquilino requerer a compra deste imóvel?

Deixe um comentário ou Sugestão:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Escritório bem avaliado Temos uma reputação global por fornecer serviços jurídicos excepcionais.

Posts relacionados

6 Dúvidas Comuns Sobre o Direito de...

Por Galvão & Silva Advocacia

03 maio 2024 ∙ 9 min de leitura

Transações Imobiliárias: Dicas Essenciais...

Por Galvão & Silva Advocacia

22 abr 2024 ∙ 8 min de leitura

Rescisão Contratual de Imóveis: 10...

Por Galvão & Silva Advocacia

19 abr 2024 ∙ 9 min de leitura

Posts recomendados

Advogado especialista em dívidas bancárias

Por Galvão & Silva Advocacia

28 dez 2020 ∙ 14 min de leitura

Homologação de sentença estrangeira

Por Galvão & Silva Advocacia

15 jun 2014 ∙ 41 min de leitura

Direito Administrativo

Por Galvão & Silva Advocacia

29 abr 2014 ∙ 28 min de leitura

Onde nos encontrar
Goiânia - GO
Av. Portugal, n°1148, Sala C 2501 - Edifício Órion Business & Health Complex, Setor Marista, Goiânia - GO CEP: 74.150-030
São Paulo - SP
Avenida Paulista, 1636 - Sala 1504 - Cerqueira César, São Paulo - SP CEP: 01.310-200
Belo Horizonte - BH
Rua Rio Grande do Norte, 1435, Sala 708 - Savassi, Belo Horizonte - MG CEP: 30130-138
Águas Claras - DF
Rua das Pitangueiras 02 Águas Claras Norte, Lote 11/12, Edifício Easy, Mezanino, Brasília - DF CEP: 71950-770
Fortaleza - CE
Rua Monsenhor Bruno, nº 1153, Sala 1423 - Scopa Platinum Corporate, Aldeota, Fortaleza - CE CEP: 60115-191
Florianópolis - SC
Av. Pref. Osmar Cunha, 416, Sala 1108 - Ed. Koerich Empresarial Rio Branco, Centro, Florianópolis - SC CEP: 88015-200
Natal - RN
Avenida Miguel Alcides de Araújo, 1920, Lote A, Capim Macio, Natal - RN CEP: 59078-270
Salvador - BA
Avenida Tancredo Neves, 2539, Sala 2609 - CEO Salvador Shopping Torre Londres, Caminho das Árvores, Salvador - BA CEP: 41820-021
Teresina - PI
Rua Thomas Edson, 2203 - Horto, Teresina - PI CEP: 64052-770
Curitiba - PR
Rua Bom Jesus, Nº 212, Sala 1904 - Juvevê - Curitiba - PR CEP: 80.035-010
João Pessoa - PB
Avenida Dom Pedro I, no 719, sala 104, Tambiá - João Pessoa - PB CEP: 58020-514

©2024 Galvão & Silva - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 22.889.244/0001-00 | OAB/DF 2609/15

Entrar em contato pelo WhatsApp
✓ Válido

Olá, tudo bem? Clique aqui e agende uma consulta com o especialista.
Formulário de whatsapp
Ligar
Aguarde um momento enquanto geramos o seu protocolo de atendimento.