Direito Trabalhista

Despedida indireta? Saiba mais sobre o artigo 483 da CLT!

Despedida indireta no artigo 483

Assim como o Direito Trabalhista estabelece sanções para punir o mau funcionário, como a demissão por justa causa, institui também uma proteção ao trabalhador frente à abusividade do empregador, possibilitando que ele requeira a rescisão contratual sem perder o direito às verbas rescisórias. Trata-se do instituto da despedida indireta, previsto no art. 483 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

O que é a despedida indireta?

A despedida indireta pode ser definida como uma rescisão contratual por culpa do empregador, cujo comportamento desrespeitoso às cláusulas contratuais torna-se justo motivo para o encerramento do vínculo empregatício a pedido do trabalhador.

Essa modalidade de despedida tem o fulcro de garantir ao empregado o recebimento das verbas rescisórias que não receberia caso pedisse demissão, o que não seria justo, uma vez que a relação trabalhista se tornou intolerável por culpa do empregador. Ressalta-se que, na maioria das vezes, o empregador é representado por um preposto/representante da empresa (gerente, diretor, supervisor ou coordenador, por exemplo).

Quando a despedida indireta pode ser requerida?

Os motivos para requerer a despedida indireta encontram-se elencados, como vimos, no art. 483 da Consolidação das Leis do Trabalho. Desse modo, conforme o disposto nesse dispositivo, temos que:

Art. 483/CLT – O empregado poderá considerar rescindido o contrato e pleitear a devida indenização quando:

a) forem exigidos serviços superiores às suas forças, defesos por lei, contrários aos bons costumes, ou alheios ao contrato;
b) for tratado pelo empregador ou por seus superiores hierárquicos com rigor excessivo;
c) correr perigo manifesto de mal considerável;
d) não cumprir o empregador as obrigações do contrato;
e) praticar o empregador ou seus prepostos, contra ele ou pessoas de sua família, ato lesivo da honra e boa fama;
f) o empregador ou seus prepostos ofenderem-no fisicamente, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;
g) o empregador reduzir o seu trabalho, sendo este por peça ou tarefa, de forma a afetar sensivelmente a importância dos salários.

Dessa forma, praticado qualquer dos atos mencionados acima, o empregado poderá pleitear a despedida indireta de imediato, sob pena de incorrer ao perdão tácito e perder o direito de recebimento das verbas rescisórias que lhe seriam devidas.

Como pleitear a despedida indireta?

A despedida indireta, conforme já salientado, deve ser pleiteada imediatamente após a ocorrência do fato, mediante o ajuizamento de reclamação trabalhista na Justiça do Trabalho, cabendo ao empregado comprová-lo, seja por meio de prova documental ou testemunhal.

Na hipótese de o trabalhador ser obrigado a desempenhar funções fora de suas atribuições, o ordenamento permite que ele suspenda a execução dos serviços, o que é recomendável para que não perca sua causa na reclamação trabalhista.

Conquanto, o § 3º do art. 483 da CLT possibilita legalmente que o trabalhador permaneça trabalhando nas seguintes situações:

  • Quando o empregador deixa de cumprir as obrigações do contrato de trabalho e
  • Quando o empregador reduz unilateralmente o trabalho do empregado, afetando a importância de sua remuneração.

Nesse viés, a permanência no serviço visa proteger que o trabalhador não incorra no abandono de emprego, caso venha a ter insucesso em sua demanda.

Quais são as verbas rescisórias decorrentes da rescisão indireta?

Reconhecida a rescisão indireta em sede de reclamação trabalhista, o trabalhador terá direito às mesmas verbas rescisórias decorrentes da demissão sem justa causa, sendo elas: aviso prévio, 13º proporcional, saldo de salário, férias vencidas acrescidas de 1/3 constitucional, FGTS e multa de 40% sobre o FGTS.

O advogado e a defesa do direito à demissão indireta

O advogado especialista em Direito Trabalhista pode ajudar o trabalhador na garantia de seus direitos. Por isso, em caso de problemas para receber as verbas que lhe são devidas em decorrência de demissão indireta, o trabalhador pode contar com o auxílio de um advogado trabalhista.

Ficou alguma dúvida? Precisa do serviço de um advogado especialista? Entre em contato com nosso escritório de advocacia!

Galvão & Silva Advocacia - Foto Autor

Por Galvão & Silva Advocacia.
Atualizado em 31 de outubro de 2019.

Precisa de um advogado especialista?

Nosso escritório de advocacia conta com uma equipe qualificada de advogados especializados em cada área do direito, sempre em busca de soluções céleres, financeiramente vantajosas e menos desgastantes. Fale conosco agora mesmo.



Onde nos encontrar

Nosso escritório localizado no Venancio Shopping na Asa Sul
Asa Sul

SCS Quadra 08, Venâncio Shopping, Bloco B-60, 2º Andar, Salas 203 e 204 – Brasília-DF CEP: 70.333-900

Ver no mapa
Nosso escritório localizado no edifício Easy em Águas Claras
Águas Claras

Rua das Pitangueiras 02 Águas Claras Norte - Brasília DF, Lote 11/12, Edifício Easy, Mezanino

Ver no mapa

Fale com um advogado

Suas informações estão seguras

Fale com um advogado

Suas informações estão seguras